"...Liberdade, essa palavra
que o sonho humano alimenta
que não há ninguém que explique
e ninguém que não entenda..."

Cecília Meireles

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Meu presente

Novamente, mais um dia se foi,
tão depressa,
que eu não me vi... não me senti...
estava diluída a tanta gente,
que de repente me perdi.

Quando a noite chegou,
eu então acordei,
como mais um sobrevivente,
ainda sentindo o peso das correntes.
.
Com o corpo arquejado
e o peito apertado
tento olhar para o horizonte,
mas ele me parece distante, estreito, imperfeito...

Quisera eu poder entender este presente,
meter-me por sua porta entreaberta,
questionar os seus critérios,
e me preparar, para ser eu novamente.






3 comentários:

  1. Regina, que saudades de te ler, lindo poema!!
    beijinhos
    oa.s

    ResponderExcluir
  2. presente é a vida, a amizade, e poder ler tão belos versos!

    ResponderExcluir
  3. “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, ou por sua
    origem, ou sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se elas podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano do que o oposto. A bondade humana é uma chama que pode ser oculta, jamais extinta."

    (NELSON MANDELA)

    ResponderExcluir