"...Liberdade, essa palavra
que o sonho humano alimenta
que não há ninguém que explique
e ninguém que não entenda..."

Cecília Meireles

terça-feira, 19 de outubro de 2010

HIPOCONDRÍACO? (CRÔNICA)


_Alô! Filha?
_Oi pai, tudo bem? E a mamãe?
_Sua mãe está ótima, eu é que não ando muito bem.
_O que é que o senhor tem hoje?
_O de sempre, as dores nas costas, nas pernas, enxaqueca, palpitação no peito, pressão alta, queimação no estômago e a infeliz da hemorróida.
_O senhor está tomando os remédios direitinho?
_Claro!  De manhã, tomo quatro comprimidos para a dor de cabeça, antes mesmo dela começar, é melhor prevenir, não é?  Depois tomo o da pressão alta, tomo outro para a depressão,  e como já sei que terei  queimação no estômago, tomo um também  para o estômago.
_Ah! Então está tudo controladinho, que bom.
_Tá nada! A insônia está acabando comigo. Tem uma semana que estou sem o meu Lexotan. Então não durmo nada durante a noite. Fico andando pela casa feito um zumbi.
_ Pai, é só não tomar café à noite, que o sono vem.
_Vem nada minha filha, preciso do meu remedinho para dormir, já estou acostumado, só que as farmácias daqui não vendem sem a receita do médico.  Já não sei mais o que fazer. Liguei para todos os seus irmãos, e nada.  Foi por isso que eu resolvi te ligar, quem sabe você consegue aí, na sua cidade.
_Ora pai, esses remédios de tarjas pretas, não se compram sem receita médica em lugar nenhum. É controlado pelo governo.
_Ah... filha, eu achei que seria mais fácil. Sabe como é cidade pequena, todo mundo é amigo de todo mundo.   De repente você é amiga da esposa do dono da farmácia e então...
_Que ideia, pai! Você sabe que não é assim que as coisas funcionam, lei é lei em qualquer lugar.
_Tá bom, então vê se consegue comprar Rivotril ou Carbamazepina.
_Mas pai, esses também são controlados, não são?
_Ah... São mesmo. Veja que minha cabeça também não anda boa. É essa maldita insônia.
_Tá bom pai, vou orar para o senhor melhorar.
_Bom, ora também para eu conseguir o remédio, tá bem?
_Agora me deixa falar um pouquinho com a mamãe. Tchau!
_Tchau filhinha, te amo.
_Também te amo Pai.
_Oi filha, tudo bem? Eu não já te disse para não perder tempo ouvindo as loucuras de teu pai?
_Coitado Mãe! Ele está sofrendo muito com a insônia. Faça um chá de camomila para ele à noite.
_Que chá, que nada!  O que ele precisa fazer é parar de dormir durante o dia.  Como é que uma pessoa quer ter sono à noite se dorme o dia inteiro?
_Ah, então é isso! Bem mãe, eu vou desligar agora, tá?
_Tá bom filha, fica com Deus. Espera aí, teu pai está dizendo alguma coisa.  -ouço meu pai gritar ao fundo: “Pede para ela comprar R$ 20,00 de AAS”.
_Mãe, AAS ele pode comprar em qualquer farmácia.
_Ele está dizendo que o AAS daí é mais barato.
_Mas se eu mandar pelo correio sai mais caro, não sai?
_Elaine, você sabe como seu pai é. Ele disse que o AAS daí tem uma  embalagem mais bonita, mais alegre. Compra que ele vai dar um jeitinho de ir buscar. Tá bom?
_Tá bom mãe. Fala para ele que eu compro. O Marcio e as meninas estão mandando um beijo.
_ Dê um beijo neles também. Tchau!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

PRIMAVERA


Hoje acordei e abri a janela da sala,
O Sol entrou todo sorridente.
Ele veio todo vestido de gala.
Disse que queria me ver contente.

É Primavera meu amor.
Ele nos trouxe Hortências de presente.
Levante! Venha ver o Beija-flor.
Inale o ar, com sua fragrância quente.

Ouça o canto dos pássaros lá fora.
Não dá para ficar indiferente.
Me dê sua mão, vamos passear agora.
Tem um festival de cores só pra gente.

Não é nenhuma bobagem,
Venha, vamos ver as folhagens.
Veja como tudo está tão diferente.
É época de voltar a ser adolescente

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

PEDIDO DE CRIANÇAS

Se perguntares o que quero ganhar,
Nem preciso parar para pensar
Pode ser uma bicicleta
Eu quero me tornar um atleta.

Se der, quero também uma linda boneca,
Ver um palhaço dando pirueta,
Um bichinho bem sapeca,
E um monte de brinquedos em uma maleta.

Quero também doces para saborear.
E somente sobremesa na hora do jantar.
Um cavalinho para cavalgar,
Brincadeiras de correr e pular

Se não tiver muito para gastar,
Pode ser uma simples peteca,
Leite e chocolate na caneca,
E seu colo, para eu tirar uma soneca.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

SER DIFERENTE

Não adianta disfarçar
Tentar rir ou gargalhar
Besteira querer parecer satisfeito
Se escondendo para não perder o respeito

Está estampado em seu olhar
A necessidade de divagar
Por que tudo tem que ser do mesmo jeito?
Nem todo mundo pode ser perfeito

Às vezes te dá uma vontade louca de criar
De repente qualquer coisa te faz desanimar
Somente os amigos conseguem aceitar
Que às vezes precisas se isolar.

ADOLESCÊNCIA

Sorridente você nasceu
Chamava-me apenas com o olhar
Beijava-me calmamente ao se deitar
Eu sempre corria para te acalentar

Silenciosamente você cresceu
De repente não quer mais conversar
Não sei onde você se perdeu
Não me deixa mais te abraçar

Enquanto você diz coisas sem pensar
Eu serenamente me ponho a rezar
Para entender o que te aconteceu
E para você voltar a me amar.


terça-feira, 5 de outubro de 2010

INOCÊNCIA


Foi tudo tão de repente,
Disseram-me que estavas dormindo.
Eu era tão pequena que acreditei fielmente.
Não dava para sentir que estavam mentindo.

Estavas tão linda de branco, fiquei contente.
Perdoa-me, não sabia que estavas se despedindo.
Parecia serena e tão diferente,
Não consegui perceber que deveras estavas partindo.

Quando me tornei menos inocente,
Entendi melhor que não estavas fugindo.
Percebi então, que nunca mais estarias presente.
Pois eternamente estarás dormindo.

Regina Gois

domingo, 3 de outubro de 2010

ADEUS

ADEUS
Mãe, foi preciso dizer adeus.
Não adianta me procurar junto aos seus.
Vou viver em Americana.
Dorme tranquila,
Talvez eu fique uns dias na casa da Ana.

Não é que eu esteja descontente.
Só estou tentando ser diferente.
Estou levando apenas uma mala.
A outra vou deixar aí, em um cantinho da sala.

Não pense que é ingratidão.
Faz parte da vida sentir emoção.
A gente cresce e não quer mais proteção.
Quer apenas viver e ouvir o coração.

E o coração diz que é preciso partir.
Mas prometo que nunca vou sumir.
Adeus!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

CONVERSA ENTRE AMIGAS (CRÔNICA)

Lúcia era uma mulher de uns trinta anos, vivia correndo de um lado para o outro, achava o dia curto de mais; nunca conseguia realizar tudo que precisava. Gostaria de estar sempre bonita; o local de trabalho exigia elegância, mas se fosse cuidar dos cabelos e das unhas, não conseguiria buscar as crianças na escola, em sua hora de almoço. À noite queria fazer um curso de aperfeiçoamento do inglês, mas e o jantar? Precisava chegar a casa, para jantar com a família. O seu dia começava sempre antes do sol nascer e terminava sempre depois da meia noite, vivia cansada e com olheiras profundas, as quais ela tentava esconder pela manhã com uma grossa camada de base.
Às vezes ela aceitava a carona de sua chefe. Uma mulher linda, bem cuidada, com unhas sempre bem feitas, cabelos bem tonalizados, brilhantes e sedosos. Maquiagem e pele impecáveis. Sempre sorridente, educada e descansada.
_Eva, como você dirige bem! - disse Lúcia com uma ponta de inveja na voz- Eu quase não venho de carro, sofro para estacionar nestas vagas tão pequenas, e para você tudo parece tão fácil.
_Meus enteados também vivem elogiando minha maneira de dirigir, quando estamos reunidos à mesa, na hora do jantar.
_Então você, também tem crianças em casa? Quem faz as comidas?
_Ora! Quem mais? Eu faço os pratos que eles gostam diariamente, tudo muito fresquinho.
_Depois de sair daqui, você ainda cozinha? –Perguntou Lúcia incrédula, olhando para as unhas brilhantes da colega.
_ Todos os dias, além de lavar e passar as roupas, também limpo e organizo a casa, e ainda converso calmamente olhando nos olhos de todos os meus queridos enteados. -respondeu Eva com sua voz melodiosa.
_Eu tenho uma pessoa para me ajudar. -disse Lúcia meio envergonhada_ Mesmo assim não consigo dar conta de tudo. Às vezes quero estudar um pouco antes de dormir, mas meu corpo não aguenta.
_Eu leio muito, principalmente livros em inglês, e na semana passada aprendi o mandarim. É necessário ser culta, para atender às exigências do mercado.
_ E depois, você ainda tem alguma energia, para... -Lúcia deu um sorrisinho tímido. _À noite na cama você tem alguma energia para... ah! Você sabe o que eu quero dizer? _falou com o rosto em brasas.
_É claro! Sou também uma excelente amante. Estou sempre disposta, feliz, provocante e com energia para proporcionar ao meu companheiro muito prazer, pelo tempo que ele desejar.
Lúcia estava de olhos arregalados e boca aberta.
_Mulher! Como é que você consegue fazer tudo isso, assim com tanta perfeição?
Eva respondeu com um belo sorriso.
_Simples querida! Não sou propriamente uma mulher. Sou o novo produto da Apple.

Cadê o verão?


Onde anda aquele verão?
A vontade de estar.

O desejo de deitar.

Mas, cadê aquele verão?
Não pode ter passado tão rápido.
Ainda há coisas para falar.
Não posso aceitar que tudo agora é perda de tempo
Ouvir
Olhar
Mãos dadas
Ou simplesmente caminhar.
Cadê a ânsia de ver?
Cadê o tremor das pernas?
O frio no estômago?
Onde se escondeu a estrela do nosso olhar?
Aquele fogo ao se deitar?
Quero de volta aquele verão.
Regina Gois